Ginecomastia

Ginecomastia é a condição em que as mamas se desenvolvem além do normal no sexo masculino. Ocorre em virtude do excesso de estrogênio (“hormônio feminino”) circulante, o que pode ser causado por certas doenças, uso de alguns medicamentos ou obesidade. O excesso de peso corporal também pode levar a acúmulo de gordura na região mamária e simular uma ginecomastia, sem que haja desenvolvimento das glândulas. O desenvolvimento do broto mamário no período da puberdade é muito comum, é temporário, e não é considerado ginecomastia. A ginecomastia verdadeira é a permanência do broto mamário desenvolvido além da puberdade. A ginecomastia pode ocorrer em apenas uma das mamas. Não necessariamente você terá a ginecomastia nas duas mamas.

Como tratar a ginecomastia?

Há graus variados de ginecomastia, com excesso de glândula mamária, com excesso de pele ou de gordura. Podemos então necessitar retirar parte da gandula, retirar pele ou fazer lipoaspiração da gordura local. Cada caso deve ser analisado individualmente. Em alguns casos, o paciente será encaminhado previamente para avaliação com endocrinologista, para excluir doenças que necessitem tratamento com medicamentos, e não com cirurgia.

Preciso fazer exames das mamas?

Sim.

Como há desenvolvimento da glândula mamária, o paciente deverá submeter-se a uma ultrassonografia mamária na busca de possíveis doenças da mama. Em casos de mamas maiores, pode até ser necessária uma mamografia.

Ginecomastia causa câncer de mama?

Não.

A ginecomastia geralmente não causa câncer de mama, mas como o homem também tem glândula mamária, o câncer de mama é um dos possíveis diagnósticos para aumento de volume da mama, o que deve ser excluído por exames como a ultrassonografia. A única exceção é a rara Síndrome de Klinefelter, em
que a ginecomastia pode sim desenvolver câncer de mama.

O que é pseudoginecomastia?

É exatamente a condição que já comentamos, em que a obesidade pode levar ao aumento do volume das mamas sem que haja desenvolvimento da glândula mamária. Para tratar, pedimos ao paciente que perca peso e após isto fazemos lipoaspiração para retirar a gordura localizada excedente.

Pode ser necessário operar o broto mamário da puberdade?

Sim.

O broto mamário que ocorre na puberdade costuma regredir espontaneamente em até 2 anos, mas em alguns casos pode não regredir ou até evoluir, gerando a necessidade de cirurgia.

É necessário usar dreno após a cirurgia?

Não.

quando fazemos apenas a retirada da glândula mamária. Sim, quando existe necessidade de grandes descolamentos na área, ou associação de lipoaspiração, gerando a necessidade de uso de dreno para evitar hematomas.

Qual o tipo de anestesia?

A decisão é tomada pelo anestesista em conjunto com a paciente e equipe cirúrgica. Geralmente é feita uma anestesia local com sedação ou uma anestesia peridural.

Onde ficam as cicatrizes?

Depende da extensão da ginecomastia. Na maioria dos casos ela se situa no bordo da aréola, ficando bem camuflada. Quando é necessário retirar pele, cicatrizes podem se estender para fora da aréola. Você pode ter também pequenas cicatrizes da lipoaspiração quando esta é necessária.

Essa cirurgia dói muito?

Geralmente analgésicos comuns evitam a dor no pós-operatório.